Linha VMNEWS

PLAYOUT CENTRAL CASTING

O QUE É CENTRAL CASTING?

Central Casting Playout é um termo utilizado pela indústria de televisão broadcast para se referir ao processo de gerenciamento e programação da reprodução de conteúdo em emissoras de TV.

Envolve a coordenação e controle de diversos eventos, como comerciais, programas, gráficos e outros ativos de mídia, para criar uma experiência de transmissão contínua e sem interrupções para os telespectadores.

O processo de reprodução geralmente ocorre em uma instalação central, frequentemente chamada de centro de reprodução ou sala de controle mestre, onde todo o conteúdo é recebido, armazenado e programado para transmissão.

Essa instalação central funciona como o hub para controlar os vários canais de TV pertencentes à rede de TV.

Em um sistema de exibição Central Casting, as emissoras utilizam soluções de software e hardware especializados para gerenciar o agendamento e a reprodução de conteúdo.

Esses sistemas permitem que os operadores organizem a biblioteca de conteúdo, criem listas de reprodução e definam a hora e a sequência de diversos elementos.

O processo de reprodução envolve a ingestão do conteúdo no sistema, o que inclui codificação, transcodificação e, às vezes, a adição de gráficos ou sobreposições.

O conteúdo é então programado e reproduzido de acordo com a roteiro de reprodução predeterminado, que pode incluir programas pré-gravados, feeds ao vivo, comerciais e outros materiais promocionais.

Os sistemas de exibição Central Casting frequentemente incluem recursos como acionamento de eventos ao vivo, inserção automática de comercias e redundância de backup para garantir uma transmissão contínua e sem interrupções.

Esses sistemas desempenham um papel fundamental na manutenção da continuidade e confiabilidade da programação de TV, gerenciando a transição perfeita entre diferentes elementos de conteúdo e mantendo a consistência entre o conteúdo exibido e o programado.

PRÓS e CONTAS

A implantação de um sistema de exibição Central Casting traz várias vantagens e desvantagens para as emissoras de TV.
Aqui estão alguns pontos importantes:

Vantagens:

  1. Eficiência operacional:
    Um sistema de exibição Central Casting permite a automatização e programação eficiente de conteúdo, simplificando o processo de gerenciamento de programação e reduzindo a necessidade de intervenção manual constante.
    Isso melhora a eficiência operacional e reduz potenciais erros humanos.
  2. Controle centralizado:
    Com um sistema Central Casting, é possível controlar e gerenciar vários canais de TV a partir de uma única localização.
    Isso facilita a coordenação entre diferentes canais, evita duplicação de esforços e simplifica a manutenção e atualização dos sistemas.
  3. Reprodução contínua:
    O sistema de exibição Central Casting permite uma reprodução contínua e ininterrupta de conteúdo.
    Através da programação adequada e recursos de redundância, o sistema é capaz de garantir uma transmissão contínua, evitando falhas técnicas ou lacunas na programação.
  4. Flexibilidade de programação:
    Com a programação centralizada, as emissoras podem criar listas de reprodução personalizadas, adaptar-se facilmente a alterações de última hora e ajustar a programação conforme necessário.
    Isso oferece maior flexibilidade na exibição de conteúdo e permite a reação rápida a eventos ao vivo ou situações emergenciais.

Desvantagens:

  1. Investimento inicial:
    A implantação de um sistema de exibição Central Casting requer um investimento significativo em infraestrutura, hardware, software e treinamento.
    As emissoras precisam estar preparadas para os custos iniciais associados à adoção desse sistema.
  2. Dependência tecnológica:
    Ao centralizar a exibição de conteúdo, as emissoras ficam dependentes do bom funcionamento do sistema Central Casting.
    Qualquer falha ou interrupção no sistema pode afetar a transmissão de múltiplos canais, exigindo uma resposta rápida para evitar impactos negativos na experiência do telespectador.

    Complexidade técnica:
    A implementação e operação de um sistema de exibição Central Casting envolvem um alto grau de complexidade técnica.
    É necessário um conhecimento especializado para configurar, manter e solucionar problemas relacionados ao sistema.
    Isso pode exigir recursos humanos adicionais ou a contratação de especialistas em tecnologia de transmissão.

 

ROTEIRO PARA IMPLANTAÇÃO

O processo de migração de uma exibição tradicional para a exibição Central Casting envolve várias etapas importantes.
Aqui está uma descrição geral desse processo:

  1. Avaliação e planejamento:
    O primeiro passo é realizar uma avaliação completa das necessidades e dos recursos da emissora.

Isso inclui analisar a infraestrutura existente, os equipamentos utilizados, a capacidade de armazenamento de conteúdo e a capacidade de transmissão.

Com base nessa avaliação, é possível planejar a transição para o sistema de exibição Central Casting.

  1. Seleção do sistema Central Casting:
    Nesta etapa, a emissora deve pesquisar e selecionar o sistema de exibição Central Casting mais adequado às necessidades demandadas.

Isso envolve a análise das funcionalidades, dos recursos e das opções de suporte oferecidas pelos fornecedores de software e hardware.

É importante escolher um sistema que atenda às demandas específicas da emissora e seja compatível com sua infraestrutura existente.

  1. Instalação e configuração:
    Após a seleção do sistema Central Casting, o próximo passo é instalar e configurar o hardware e o software necessários.

Isso pode envolver a atualização de servidores, a instalação de equipamentos de reprodução, a configuração de redes e a integração com outros sistemas existentes, como o gerenciamento de conteúdo e o controle mestre.

  1. Transferência e ingest de conteúdo:
    Nessa etapa, o conteúdo existente da emissora, incluindo programas, comerciais e outros elementos, deve ser transferido para o novo sistema Central Casting.
    Isso envolve a ingestão dos arquivos de mídia, a organização dos metadados correspondentes e a criação de playlists para a programação futura.
  2. Treinamento da equipe:
    É essencial fornecer treinamento adequado para a equipe responsável pela operação do sistema de exibição Central Casting.

Isso inclui a familiarização com as interfaces do usuário, as ferramentas de programação, o monitoramento de transmissão e os procedimentos de solução de problemas.

A equipe deve estar preparada para operar efetivamente o novo sistema e lidar com qualquer desafio que possa surgir.

  1. Testes e ajustes:
    Antes de fazer a transição completa para o sistema de exibição Central Casting, é necessário realizar testes extensivos para garantir que tudo esteja funcionando corretamente.

Isso envolve a verificação da reprodução de conteúdo, a integração com outros sistemas, a sincronização de comerciais e programas, e a validação da programação agendada.

Qualquer ajuste ou correção necessária deve ser feito nessa fase.

  1. Implementação e monitoramento contínuo:
    Após a conclusão dos testes e ajustes, a emissora pode começar a operar em pleno funcionamento com o sistema de exibição Central Casting.

É importante realizar um monitoramento contínuo para garantir que a transmissão esteja ocorrendo corretamente e solucionar quaisquer problemas que possam surgir.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Lembrando que esse processo pode variar dependendo das características específicas de cada emissora e do sistema de exibição Central Casting escolhido.

É fundamental seguir as melhores práticas recomendadas pelos fornecedores de software e hardware e contar com o suporte adequado durante todo o processo de migração.

Além das etapas mencionadas acima, é importante considerar alguns pontos adicionais.

Durante a migração, pode ser necessário realizar ajustes na infraestrutura de rede para garantir uma transmissão estável e de alta qualidade.

Também é necessário planejar a capacidade de armazenamento adequada para lidar com o aumento do volume de conteúdo digitalizado.

Outro aspecto crucial é comunicar e envolver os colaboradores da emissora.

É essencial explicar o motivo da mudança, fornecer treinamento adequado e estar disponível para esclarecer dúvidas e oferecer suporte contínuo.

A adaptação a um novo sistema pode exigir tempo e ajustes por parte da equipe, portanto, é importante garantir que eles se sintam apoiados durante todo o processo.

Conclusão:

A decisão pela migração para um sistema de exibição Central Casting exige uma avaliação cuidadosa afim de constatar sua indicação.

 Por isto é importante recorrer à profissionais experientes e capacitados para a realização de uma consultoria específica para contribuir com a tomada de decisão.

A Videomart Broadcast possui longa experiência na implementação de centrais de exibição e oferece o serviço de consultoria específica para esta finalidade.
Recentemente a empresa lançou um novo modelo em sua linha de exibidores para televisão:

 

TVPLAY IV VENTRAL CASTING.


O TVPLAY  for Central Casting é o novo modelo deda linha de exibidores com 4 canais de saída independentes.
Solução ideal para emissoras cabeças de rede, que possibilita a operação de suas afiliadas remotamente a partir de sua central de operações na estação cabeça de rede.