NEWS

BNDES prevê apoio de meio bilhão ao audiovisual

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) planeja investir R$ 500 milhões no setor audiovisual brasileiro, de acordo com o presidente do banco, Aloizio Mercadante. Esses recursos serão disponibilizados por meio de financiamentos e têm o objetivo de serem aplicados o mais rapidamente possível. O presidente expressou preocupação com as dificuldades financeiras enfrentadas por pequenas produtoras e sugeriu a formação de cooperativas para compartilhar equipamentos e infraestrutura inicialmente, a fim de fortalecer essas empresas em seus estágios iniciais.

O “Seminário BNDES do Audiovisual Brasileiro” foi realizado na sede do BNDES no Rio de Janeiro e contou com o apoio do Ministério da Cultura (MinC) e da Agência Nacional do Cinema (Ancine). O evento reuniu gestores públicos, especialistas e representantes do setor para discutir estratégias de desenvolvimento nacional no campo do audiovisual. A ministra Margareth Menezes destacou que as políticas públicas de apoio ao audiovisual estão sendo retomadas, e também mencionou a aprovação de um projeto de lei que prorroga o prazo de exibição de obras cinematográficas brasileiras na TV paga.

O setor audiovisual no Brasil desempenha um papel significativo na economia, com um impacto direto e indireto que inclui contribuições substanciais para o PIB, geração de empregos e arrecadação de impostos. O presidente do BNDES observou que em 2020, a economia da cultura e das indústrias criativas representou mais de 3% do PIB, superando a indústria automotiva em contribuição econômica.

O BNDES tem um histórico de apoio ao setor audiovisual, incluindo o financiamento de filmes, séries e a digitalização de salas de cinema. Além disso, Mercadante enfatizou a importância de uma aliança ampla em defesa do audiovisual brasileiro, envolvendo empresas estatais e entidades do setor privado. Ele também mencionou a necessidade de criar uma política de regulação para as plataformas de streaming, em consonância com o que ocorreu na União Europeia.